domingo, 24 de julho de 2011

N U N C A

MANOEL HERCULANO


Esse amor que nunca veio a mim

Que nunca bebeu do meu gim

Que se negou a me doar um rim

Amor que se foi quando eu vim

Que não é claro vivo oi nem tim

É um amor que nunca disse sim

Mas que também nunca terá fim


---------------------------------------------------------------
*** Uma brincadeira recente que virou poema. Resolvi postar, já que estou com dificuldade de colocar o ponto final em outros poemas, maiores... E já é dia 25/07/2011, são 2h, e eu ouvindo rádio... Agradeço os comentários, e a todos que passam por aqui, muito obrigado. Até breve!

Um comentário:

Renan Wangler disse...

Essas brincadeiras são importantes pois nessas aguçamos nossas capacidades, apontamos nossa criatividade deixando-a prona para agir. Parabéns pela irreverência e sonoridade que só sua poesia tem.