segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

QUANDOS

MANOEL HERCULANO

Quando perguntam quem sou eu na fila do pão
lembro-me que já fiquei um tempão
sem tê-lo à mesa
apesar da minha ascendência francesa
Então, respaldado pelo idioma maranhês
respondo en passant
na fila do pão francês
não sou nada menos que croissant

Quando me dão uma rasteira
e eu caio e me quebro
não fico na esteira
sempre me saio como um requebro
Encaro a calmaria, o impacto
e nesta romaria, neste pacto
mostro que quando me quebro não viro caco
eu viro cacto

Quando tentam me reduzir a cocô do cavalo
do bandido
eu, sem dar um coice nem latido
como pessoa quase ótima que sou
com todo respeito ao agressor
honro o nome Manoel
Cito minha conterrânea dizendo que não sou
um qualquer
porque, sabe como é, nascido em Santa Isabel
mesmo se fosse um cocô
eu seria Coco Chanel

---------------------------------------------------
***** Fui rápido desta vez, começando 2018,
poema em minha homenagem (desculpa, Papa
Francisco)... rsrs. QUANDOS, que tal? Um
Ano Novo iluminado com saúde, prosperidade,
poesia, paz e bem. São 14h do dia 01/01/2018.
Gratidão!