domingo, 6 de março de 2011

AMOR DE QUINTA

MANOEL HERCULANO


Lembro-me que era uma quinta-feira, dia de feira
E que não foi a última nem a primeira
Pela quinta vez, naquele mês, você me disse talvez
Foi então que entre chuchu, maçã, caju e pêra
Eu gritei todo o meu amor de fim de feira
Êpa, mas amor de quinta não brinca, não é xepa
Tem sua essência, contém a quintessência
E todos os critérios, sérios, para chegar à excelência
Na Quinta da Boa Vista, com aquele visual habitual
Nada em vista além de sol, a quinta nota musical
Igual como estar com o Quintana no meu quintal
E numa semana em que os ouvidos não ouvem
Tive a sensação de ouvir a quinta de Beethoven
Num hotel cinco estrelas, de quinta, teto sem tinta
Sem crédito na esquina, na quitanda, na cantina
Sem o mérito de um maitre e uma esperança faminta
Coração, não me desminta, mas depois do quinto amor
Por favor, tinha que ter um amor de quinta

----------------------------------------------------------------------------
*** O poema O QUINTO AMOR fez e faz tanto sucesso (é o preferido de muita gente) que resolvi fazer AMOR DE QUINTA, já há algum tempo. E hoje decidi postá-lo, após últimos (?) retoques, porque acho que tem tudo a ver com o carnaval... rsrs. E também porque li por telefone para Indiana Nomma hoje à tarde e ela, empolgada, falou que estava pronto. Então aqui está, neste domingo de carnaval, 06/03/2011, às 19:40h. Pois é, ontem e hoje não saí de casa, e gosto de carnaval... hahaha.

5 comentários:

Marisa Vieira disse...

hahaha Adoro, simplesmente adoro!
Você é sensacional Herculano!
beijodaamiga/fã
Marisa

O Bolinho disse...

achei de quinta...mentira, amei!!!

Sam Costa disse...

Amei o poema!
Muito bom mesmo
Parabéns!!
=D

amitafcosta disse...

Excelente!!!
Você tá cada vez melhor,
Bjs.

Manoel Herculano disse...

E quase dois anos depois, venho agradecer... rsrs. Muito obrigado a todos! Bjs.
MH