quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

SOLIDÃO DIGNA

MANOEL HERCULANO


Eu quero fazer uma solicitação à solidão
Para quem vive sozinho e leva um vidão

Quero dizer da solidão dos que não se dão
Dos sólidos, dos sórdidos, dos que só dão
A solidão daqueles que vivem de prontidão
Dos solteiros, dos sorrateiros na multidão

Quero falar da solidez de todas as solidões
Que correm pelos rios, pelo rio Solimões

Mas eu quero a solidão digna dos poetas
A solidão que instiga, que nos projeta
Nos leva para além dos campos de algodão
Eu quero os meus cem anos de solidão.

---------------------------------------------------------

--- São 2:15h da véspera de Natal (24/12/10), e me deu vontade de postar esta minha visão sobre a dignidade da solidão...

5 comentários:

10$3683774110 disse...

DIGO NÃO A SOLIDÃO, DIGO SIM AO OLHAR AMIGO E AO CIDADÃO.
DIGO SIM A SOLIDÃO DO SILÊNCIO QUE CANTA NA MADRUGADA FRIA.
DOU A MÃO PARA CONTRUIR A PALAVRA DIGNIDADE.AS CIDADES DE HOMEM DE DEUS.
MÔNICA ROCHA

10$3683774110 disse...

MANOEL HERCULANO É DE BOM TOM.
FOÇA DO NORDESTE DA POESIA QUE NASCE NO MARANHÃO E DESAGUÁ NO RIO DE JANEIRO. É DO SEU SONORO NOME QUE VIBRA AUTECIDADE POR ISSO EU AGRADEÇO
PELAS OFICINAS NA CIDADE DE DEUS .A POESIA É A SUA IDENTIDADE.OBRIGADA DE UMA BONEQUEIRA!
MÔNICA ROCHA

Marisa Vieira disse...

Você é genial! Admiro e respeito demais sua arte
beijos

Sandra Silva disse...

"Mas eu quero a solidão digna dos poetas
A solidão que instiga, que nos projeta
Nos leva para além dos campos de algodão
Eu quero os meus cem anos de solidão"
Passei pra me perder um pouco, já que as retas do dia são entediantese, e achei esses seus versos.
Fiquei, assim, encantada em meio aos seus campos de algodão, a fazer contas rapidinho pra saber, "noves fora", quanto resta pros meus cem anos de solidão!
Bj na testa

Lilly disse...

Passando para dizer que me encantei com o que escreve!!!