quarta-feira, 25 de março de 2009

P A U S A S

Manoel Herculano

Pausa!
Por favor, eu preciso de uma pausa.
Não importa o verdadeiro motivo nem a causa
Eu só preciso, urgentemente, de uma pausa.
Pode ser teórica, prática ou uma pausa dramática
Rápida, pragmática, exata como a matemática.
Pausa para puxar a rédea, do drama, da tragédia
Para uma piada ou para nada, a pausa da comédia.
Pausa de uma eternidade, de um eterno minuto
Para matar a saudade, homenagear ou por luto.
Pausa de uma hora, para dar um tempo ou ir embora.
Pausa para respirar, resmungar, para não pirar
Para um momento de fé, para um café, um cafuné
Uma longa pausa para gente chata largar do meu pé.
Pausa para ir lá fora, agora, ver como está o tempo
Para dar tempo ao tempo, para esquecer do tempo.
Pausa para um gesto, para todos, para todo o resto.
Pausa para libertar um grito, para fugir do agito
Fazer o rito, desfazer o mito, para o livre arbítrio.
Pausa para um carinho, para ficar na solidão, sozinho
Para uma troca de olhar, uma inspiração, um sorriso
Preciso de pausas, sem explicação, para o que for preciso.

2 comentários:

luliX pandaglia disse...

Adorei!!! Todos nós precisamos de pausas... Parabéns!!!
bjs,

cintya veiga disse...

Manoel, Acabamos de conhecê-lo no Mercado São José, e tivemos o privilégio de ouvi-lo declamar "Pausas". Foi um momento único que me tocou profundamente.
Como nada é por acaso e tudo tem um motivo...ouvir "Pausas" foi muito significativo naquele instante.